LABORATÓRIOS


 

No projeto político pedagógico do Curso de Museologia, estão previstos os seguintes laboratórios :

 

I-Laboratório de Multimídia e Espaços Virtuais (LEV)

Desenvolver tecnologias e metodologias para promover a difusão de exposições, a partir da criação de Ambientes Virtuais envolvendo o acervo de Museus. O ambiente virtual dá a oportunidade de apresentar exposições de formas alternativas no ambiente real de um museu. O Laboratório tem como referencial seguir a arquitetura real de museus, dado que estudos afirmam que dessa maneira a exposição virtual tem impacto sobre seu público-alvo. Serão usadas imagens reais, com base em fotografias, plantas de arquitetura e coleções para a criação dos elementos do Ambiente Virtual, a fim de aproximar o quanto possível do Ambiente Virtual do Ambiente Real.

O trabalho de pesquisa do Laboratório envolve também o desenvolvimento de outras aplicações em ambientes virtuais, tais como a comunicação e seu público em ambiente virtual, o desenvolvimento de metodologias de ensino-aprendizagem, coleta de dados, análises e avaliações, com foco na percepção do público alvo no potencial de aprendizagem inserida nas exposições em ambientes virtuais. No momento, esse é o único Laboratório em funcionamento.  

         Para miores informações, acesse a página: http://www.museologia.fci.unb.br/component/tlpportfolio/portfolio/laboratorio-lev

 

 

II- Laboratório de Museografia e Exposição Curricular (LAMEC)

O LAMEC tem como objetivo entender como são organizados as exposições, considerando os espaços nos museus, a relação entre o visitante e o que está exposto, as metodologias de interpretação do real, os códigos de percepção visual, as estratégias de comunicação e a comunicação com grupos minoritários.

Dentre os elementos de projeto de uma exposição, o Laboratório poderá aprofundar na prática das questões da linguagem e expressão nas exposições museológicas, no conteúdo e forma, na tipologias de exposição, nas especificidades em relação à duração da exposição, nos elementos expográficos, tais como  suportes, cores, som, iluminação, texturas, imagens, textos, cenários e outros. Aqui serão realizados projetos de ações museais diversas, e de ação cultural e exposições para diferentes públicos, incluindo produção, montagem e programação de curadoria expográfica.

      a) Produção

      b) Museografia e documentaçãod e exposições

      c) Galeria de exposição

        Para miores informações, acesse a página: http://www.museologia.fci.unb.br/component/tlpportfolio/portfolio/image-1

         Página com a Memória das exposições: http://www.museologia.fci.unb.br/exposicoes

 

 

III- Laboratório de Conservação e Restauração (LACON)

O LACON tem como objetivo promover o desenvolvimento da investigação científica nas áreas da Conservação e Restauro. Serão realizadas atividades de ensino e pesquisa no campo da conservação, conservação preventiva e restauração de peças típicas de acervos museológicos. As atividades tem como referencial a manutenção da integridade e da autenticidade dos elementos constitutivos do objeto museal no momento do projeto e da intervenção técnica. Para que tais atividades sejam mais bem executadas, serão estabelecidos acordos de cooperação com laboratórios de conservação no país.

      • Laboratório de Conservação e Restauração (LACON)
              • Oficina de Conservação e Restauração de Obras sobre Papel
              • Oficina de Conservação e Restauração de Pintura de Cavalete

      a) LACON 1 – Análises Climáticas

      b) LACON 2 – Acondicionamento

      c) LACON 3 – Conservação Curativa e Restauração

           Para miores informações, acesse a página:http://www.museologia.fci.unb.br/component/tlpportfolio/portfolio/laboratorio-lacon

  

IV-Laboratório de Museologia e Reserva técnica (LART)

O LART tem a função de proporcionar ao aluno a prática da guarda do acervo não exposto, observando precauções especiais quanto à localização, proteção contra roubo, catástrofes e condições ambientais apropriadas. A coleção na Reserva Técnica precisa estar acondicionada em local apropriado e quando necessário, na parte externa são anotadas as principais características da peça, como: datação, origem e descrição física.

Pela Reserva Técnica, que assegura a movimentação organizada e segura de materiais, os museus renovam constantemente seu acervo e o visitante percebe as intervenções periódicas na instituição.  A missão de difusão cultural, educação patrimonial e desenvolvimento social e da cidadania estão intimamente relacionados a esse laboratório. A Reserva Técnica é tão importante quanto o próprio museu. É o lugar adequado tecnicamente para dar suporte às atividades museológicas, por isso é de vital importância sua prática.  Geralmente, a reserva possui inúmeras peças, acervos completos, coleções de estudo, incluindo as respectivas estruturas expográficas, que aguardam catalogação, cadastramento, inventário, restauro, outras intervenções ou aguardam para uma exposição.   A Reserva Técnica é o local para a realização da manutenção do que está exposto, como também do que será mostrado nas exposições temáticas.

          Para miores informações, acesse a página: http://www.museologia.fci.unb.br/component/tlpportfolio/portfolio/laboratorio-lart

 

V- Laboratório de Museologia Social ( LabMuS)

O Laboratório de Museologia Social integraria os projetos realizados por professores e discentes do curso de Museologia relacionados as temáticas da Museologia Social/Sociomuseologia, especialmente afetados pela intersecção da Museologia e do Patrimônio com as críticas a memória do poder e do poder da memória, valorizando os marcadores sociais da diferença e o direito à memória. Pretende reunir pesquisas, promover colóquios e estimular publicações em torno das estratégias de enfrentamento realizadas no campo epistêmico da Museologia nas interfaces com a temática dos direitos humanos e a ética profissional. Para tanto, privilegiaria propostas que discutam experiências em Museologia Social como estratégias para reafirmação da diversidade cultural, questionamento das desigualdades e defesa dos valores democráticos; a relação entre processos museológicos e tentativas de restituição de histórias silenciadas, subjetividades reprimidas e conhecimentos populares. A proposta é de, a partir de diferentes metodologias e referenciais teóricos construídos na confluência entre políticas públicas, práticas comunitárias e ações museológicas e museais, proporcionar um espaço de reflexão sobre a relação entre Museologia e Direitos Humanos, potencializando as investigações sobre a poética e a política da memória a partir de questões de gênero, raça, orientação sexual, geração, região e expressões populares.

Objetivos: O intuito é que o laboratório sistematize e disponibilize um banco de dados com a fortuna crítica brasileira relacionada a Museologia Social; promova estudos de recepção, publicação e traduções de textos sobre Museologia Social; investigue os conceitos-chave manejados por pesquisadores e comunidades envolvidas nos processos; e realize seminários em torno dessas experiências.

Espaço: A princípio o Laboratório de Museologia Social dividiria espaço com o Laboratório de Espaços Virtuais ( http://culturalab.unb.br/ ) .

Processo sei n. 23106.095301/2018-68